Pesquise no site

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages


Doutorado - atuais


Perfil


Michele Bahia do Vale Silva

E-mail

Lattes

Currículo Michele

Agência: CAPES

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

Médica Veterinária formada pela Universidade Federal do Pará (2008-2013), realizou mestrado pelo Programa de Pós-graduação em Saúde animal na Amazônia (PPGSAAM) (2013-2015). Atualmente está no doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Possui experiência principalmente na identificação de hemoparasitas, ectoparasitas e endoparasitas de animais domésticos e silvestres, além do diagnóstico de enfermidades parasitárias através de técnicas de parasitologia básica e de Biologia molecular. Além disso, também possui experiência com clínica de pequenos animais e manejo de fauna em aeroportos.

DESCRIÇÃO DO PROJETO

A babesiose bovina é causada por Babesia bigemina e Babesia bovis e o principal vetor é o carrapato Riphicephalus (Boophilus) microplus. Essa enfermidade é importante nas regiões tropicais e subtropicais em todo mundo inclusive nas Américas, pois é responsável por perdas econômicas na pecuária causadas pela diminuição na produtividade de leite e carne, assim como o aumento dos custos com tratamento dos animais enfermo .Os métodos de cultivo in vitro de Babesia spp. foram desenvolvidos desde a década de 80 em hemácias de bovinos, esse método permite melhor compreensão da biologia do protozoário e a possibilidade de obtenção de cepas atenuadas para o desenvolvimento de vacinas. No entanto, o cultivo contínuo de Babesia bigemina em hemácias exige doadores de sangue livres dos agentes causadores da babesiose, o que é muito difícil e limita a manutenção de um cultivo convencional em áreas endêmicas. Artrópodes transmissores de patógenos são comumente utilizados como uma fonte para o isolamento e cultivo de agentes patogênico, possibilitando assim o conhecimento in vitro de sua interação com as células cultivadas e seus mecanismos de invasão à célula. A linhagem celular IDE8 foi estabelecida a partir de embriões de carrapatos Ixodes scapularis. Células embrionárias de artrópodes constituem-se uma ferramenta útil para o isolamento e cultivo de hemoparasitos, incluindo Babesia spp. e Anaplasma spp. A manutenção de hemoparasitos in vitro fornece esclarecimentos sobre sua virulência e especificidade por hospedeiros, o que facilita o entendimento sobre como ocorrem as interações entre patógeno e hospedeiro.Os sistemas de cultivo in vitro, representam uma alternativa concreta para estudos em muitos aspectos a respeito de carrapatos e os patógenos transmitidos por eles Para a propagação in vitro de B. bigemina em célula embrionária de carrapato, será necessária produção de esporocinetos, os quais são produzidos exclusivamente nos tecidos do vetor. Este fato justifica o uso da alimentação artificial como ferramenta para produção controlada, em nível de laboratório, de esporocinetos infectantes para células embrionárias.