Instituto de Medicina Veterinária
Busca

Classificação

Ordem Cyclophyllida van Beneden, 1850
Família Taeniidae Ludwig, 1886
Gênero Taenia Linnaeus, 1758
Taenia solium Linnaeus, 1758
Taenia hydatigena Pallas, 1766v Taenia multiceps Leske, 1780
Taenia taeniaeformis Batsch, 1796v Gênero Taeniarhynchus Weinland, 1858
Taeniarhynchus saginatus (Goeze, 1782)
Gênero Echinococcus Rodolphi, 1801
Echinococcus granulosus (Batsch, 1786)

Família Taeniidae
Ludwig, 1886

Escólice com ventosa e rostelo presente ou ausente.
Proglotes imaturas mais largas do que longas, quadradas ou mais longas do que largas.
Genitálias simples.
Testículos anteriores ao ovário.
Vitelária posterior ao ovário.
Ovário bilobado, mediano e na borda posterior da proglote.
Útero com um tronco mediano e longitudinal.

Gênero Taenia
Linnaeus, 1758

Corpo médio ou grande.
Escólice com rostelo armado com acúleos.
Colo curto ou desenvolvido.
Proglotes imaturas mais largas do que altas; órgãos reprodutores não desenvolvidos.
Proglote madura com os órgãos reprodutores desenvolvidos; útero pouco desenvolvido.
Proglote grávida com os órgãos reprodutores reduzidos, útero desenvolvido.

Taenia solium
Linnaeus, 1758

Estróbilo grande com 800 a 1000 proglotes.
Rostelo com 25 a 50 acúleos em duas fileiras.
Proglote grávida com 7 a 16 ramificações laterais de cada lado do corpo do útero.

Cysticercus cellulosae

Vesícula pequena contendo um único escólice invaginado.
Escólice com rostelo armado com acúleos.
Desenvolve-se, principalmente, na musculatura esquelética e cardíaca, no sistema nervoso central do suíno, homem e com casos descritos em cães.

Taenia hydatigena
Pallas, 1766

Rostelo com 26 a 46 ganchos distribuídos em duas fileiras.
Pescoço quase tão largo quanto o escólice.
Estróbilo médio.
Útero grávido com 6 a 10 ramificações laterais de cada lado do corpo do útero.

Cysticercus tenuicollis

Vesícula grande que tem um só escólice invaginado.
Escólice com rostelo armado com acúleos.
Desenvolve-sena cavidade peritoneal de suínos, ruminantes, principalmente ovinos e outros animais.

Taenia multiceps
Leske, 1780

Corpo de médio porte.
Rostelo com 22 a 32 acúleos dispostos em duas fileiras.
Útero grávido com 14 a 20 ramificações laterais de cada lado do corpo do útero.

Coenurus

Vesícula com vários proto-escólices com origem direta na parede da vesícula.
Escólice com rostelo armado com acúleos.
Desenvolve-se no sistema nervoso central de ovinos e outros animais domésticos e acidentalmente o homem.

Taenia taeniaeformis
Batsch, 1796

Rostelo pouco desenvolvido e com 26 a 52 ganchos em duas fileiras.
Proglote grávida com a borda anterior menos larga que a posterior.
Útero grávido com 16 a 18 ramificações laterais de cada lado.

Cysticercus Fasciolaris

Escólice evaginado ligado por um estróbilo longo e segmentado a uma pequena vesícula.
Escólice com rostelo armado com acúleos.
Desenvolve-se no fígado de roedores.

Gênero Taeniarhynchus
Weinland, 1858

Escólice sem rostelo.
Colo desenvolvido.
Ovário sem lóbulo acessório.
Proglote grávida com ramificações laterais do útero longas.

Taeniarhynchus saginatus
(Goeze, 1782)

Estróbilo grande com 1200 a 2000 proglotes.
Rostelo ausente.
Proglote grávida com 14 a 32 ramificações laterais de cada lado do corpo do útero.

Cysticercus bovis

Vesícula pequena e contendo um só escólice invaginado.
Desenvolve-se em tecido de bovino, principalmente, na musculatura esquelética e cardíaca.

Gênero Echinococcus
Rodolphi, 1801

Corpo pequeno, em geral, com menos de seis proglotes.
Escólice com rostelo armado de duas coroas de espinhos.
Poro genital irregularmente alternado e situado na metade posterior da proglote.
Proglote grávida grande.
Ramificações laterais do útero curtas.

Echinococcus granulosus
(Batsch, 1786)

Corpo pequeno, em geral, com menos de seis proglotes.
Escólice com ventosas e rostelo desenvolvidos.
Proglote grávida grande, em geral, corresponde de 1/3 a 1/2 do comprimento do corpo.
Ramificações laterais do útero curtas.

Cisto hidático

Proto-escólices têm origem direta na parede interna (membrana germinativa) ou em vesículas filhas (vesículas prolígeras).
Cistos filhos endógenos podem estar presentes.


© 2011 - IV - UFRRJ | Créditos
COTIC