Instituto de Medicina Veterinária
Busca

Classificação

Ordem Strongylida Molin, 1861
Superfamília Trichostrongyloidea Cram, 1927
Família Trichostrongylidae Leiper, 1912
Subfamília Trichostrongylinae Leiper, 1912
Gênero Trichostrongylus Looss, 1905
Trichostrongylus axei (Cobbold, 1879)
Trichostrongylus colubriformis (Giles, 1892)
Subfamília Cooperiinae (Skrjabin & Schulz, 1937)
Gênero Cooperia Ransom, 1907
Cooperia pectinata Ramsom, 1907
Cooperia punctata (Linstow, 1907)
Cooperia spatulata Bayles, 1938
Subfamília Haemonchinae (Skrjabin & Schulz, 1937)
Gênero Haemonchus Cobbold, 1898
Haemonchus contortus (Rudolphi, 1803)
Haemonchus placei Roberts, Turner & Mackvertt, 1954
Haemonchus similis Travassos, 1914
Família Dictyocaulidae (Skrjabin, 1933)
Subfamília Dictyocaulinae Skrjabin, 1933
Gênero Dictyocaulus Railliet & Henry, 1907
Dictyocaulus arnfieldi (Cobbold, 1884)
Dictyocaulus viviparus (Bloch, 1872)

Superfamília Trichostrongyloidea
Cram, 1927

Abertura oral sem dentes ou placa cuticular; lábios, se presentes, pouco desenvolvidos, cavidade bucal desenvolvida, pequena ou ausente; cápsula bucal, em geral, ausente ou pequena e fina. Macho com bolsa copuladora bem desenvolvida lobulada ou não. Fêmea com cauda cônica.

Família Trichostrongylidae
Leiper, 1912

Boca pequena sem ou com lábios rudimentares, cápsula bucal rudimentar ou ausente, papilas cervicais presentes ou não. Fêmea com aparelho genital simples ou duplo e vulva posterior. Macho com bolsa copuladora desenvolvida, com amplos lóbulos laterais e lóbulo dorsal pequeno.

Subfamília Trichostrongylinae
Leiper, 1912

Extremidade anterior delgada sem dilatação cuticular, lábios rudimentares, cavidade bucal reduzida, cápsula delgada, papilas cervicais ausentes. Macho com bolsa copuladora geralmente simétrica, espículos curtos, gubernáculo presente.

Gênero Trichostrongylus
Looss, 1905

Extremidade anterior com afilamento progressivo, dilatações cuticulares e papilas cervicais ausentes; esôfago claviforme e longo. Macho com espículos curtos, gubernáculo alongado; telamon ausente; bolsa copuladora simétrica, raio ventro-ventral de menor desenvolvido do que o raio ventro-lateral, raio dorsal bifurcado no ápice. Fêmea com vulva na metade posterior do corpo, ovijetor desenvolvido; cauda curta e cônica.

Trichostrongylus Colubriformis
(Giles, 1892) Ransom, 1911

Extremidade anterior com afilamento progressivo; dilatações cuticulares e papilas cervicais ausentes; esôfago claviforme longo. Espécime macho com bolsa copuladora desenvolvida e simétrica; espículos curtos e dissimilares quanto à forma e similares quanto ao tamanho; gubernáculo alongado. Fêmea com ovijetor desenvolvido; cauda curta e cônica.

Parasito do intestino delgado de ruminantes.

Trichostrongylus Axei
(Cobbold, 1879) Railliet & Henry, 1909

Extremidade anterior com afilamento progressivo; dilatações cuticulares e papilas cervicais ausentes; esôfago claviforme longo. Espécime macho com bolsa copuladora desenvolvida e simétrica; espículos curtos, e desiguais; gubernáculo alongado (navicular). Fêmea com ovijetor desenvolvido; cauda curta e cônica.

Parasito do abomaso de ruminantes e estômago de eqüídeos.

Subfamília Cooperiinae
(Skrjabin & Schulz, 1937)

Vesícula cefálica presente; cavidade e cápsula bucais rudimentares, papilas cervicais pequenas. Macho com bolsa copuladora simétrica espículos curtos, gubernáculo ausente.

Gênero Cooperia
Ransom, 1907

Cutícula com estriações transversais, dilatação cuticular cefálica freqüentemente presente, papilas cervicais pequenas. Fêmeas com vulva na metade posterior do corpo; cauda cônica, mais ou menos aguda e sem espinho terminal. Macho com espículos robustos com ponta obtusa e com porção mediana ornamentada; gubernáculo e telamon ausentes; bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulos dorsal pequeno, raio dorsal dividido na metade distal com ramos paralelos ou curvos.

Cooperia spatulata
Bayles, 1938

Dilatação cuticular cefálica freqüentemente presente, papilas cervicais pequenas. Fêmeas com vulva na metade posterior do corpo; cauda cônica, mais ou menos aguda e sem espinho terminal. Macho com espículos robustos com ponta obtusa em forma de espatula; gubernáculo e telamon ausentes; bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulos dorsal pequeno, raio dorsal dividido na metade distal.

Parasito do intestino delgado de ruminantes

Cooperia punctata
(Linstow, 1907)

Dilatação cuticular cefálica presente, papilas cervicais pequenas. Fêmeas com vulva na metade posterior do corpo; cauda cônica, mais ou menos aguda e sem espinho terminal. Macho com espículos robustos com ponta obtusa e com protuberância mediana pequena, gubernáculo e telamon ausentes; bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulos dorsal pequeno, raio dorsal dividido na metade distal com ramos paralelos ou curvos.

Parasito do intestino delgado de ruminantes

Cooperia Pectinata
Ramsom, 1907

Dilatação cuticular cefálica presente, papilas cervicais pequenas. Fêmeas com vulva na metade posterior do corpo; cauda cônica, mais ou menos aguda e sem espinho terminal. Macho com espículos robustos com ponta obtusa e com protuberância mediana estriada; gubernáculo e telamon ausentes; bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulos dorsal pequeno, raio dorsal dividido na metade distal.

Parasito do intestino delgado de ruminantes

Subfamília Haemonchinae
(Skrjabin & Schulz, 1937)

Boca com três lábios rudimentares, cavidade bucal pequena com lanceta desenvolvida; corpo mais ou menos filiforme, sem dilatação cuticular cefálica, papilas cervicais desenvolvidas. Macho com bolsa copuladora geralmente assimétrica, lóbulo dorsal pequeno; espículos relativamente curtos; gubernáculo presente.

Gênero Haemonchus
Cobbold, 1898

Cavidade bucal pequena e com lanceta desenvolvida; dilatação cuticular cefálica ausente; papilas cervicais proeminentes. Fêmeas com flap presente ou ausente; com o formato variando de lingüiforme a botão, vulva no flap ou fora deste; cauda cônica, aguda e sem espinho terminal. Macho com bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulo dorsal assimétrico, raio dorsal dividido na metade ou terço distal; espículos com ganchos terminais; gubernáculo presente e papilas pré-bursal presentes; telamon ausente.

Haemonchus contortus
(Rudolphi, 1803)

Cavidade bucal pequena e com lanceta desenvolvida; dilatação cuticular cefálica ausente; papilas cervicais proeminentes. Fêmeas com flap presente ou ausente; com o formato variando de lingüiforme a botão; cauda cônica, aguda e sem espinho terminal. Macho com bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulo dorsal assimétrico, raio dorsal dividido em forma de Y; espículos com ganchos terminais curtos; gubernáculo presente e papilas pré-bursal presentes; telamon ausente.

Parasito de abomaso de ruminantes.

Haemonchus Placei
Roberts, Turner & Mackvertt, 1954

Cavidade bucal pequena e com lanceta desenvolvida; dilatação cuticular cefálica ausente; papilas cervicais proeminentes. Fêmeas com flap presente ou ausente; com o formato variando de lingüiforme a botão; cauda cônica, aguda e sem espinho terminal. Macho com bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulo dorsal assimétrico, raio dorsal dividido em forma de Y; espículos com ganchos terminais curtos; gubernáculo presente e papilas pré-bursal presentes; telamon ausente.

Parasito de abomaso de bovino.

Haemonchus Similis
Travassos, 1914

Cavidade bucal pequena e com lanceta desenvolvida; dilatação cuticular cefálica ausente; papilas cervicais proeminentes. Fêmeas com flap presente ou ausente; com o formato variando de lingüiforme a botão; cauda cônica, aguda e sem espinho terminal. Macho com bolsa copuladora com lóbulos laterais desenvolvidos e lóbulo dorsal assimétrico, raio dorsal dividido em forma de taça; espículos com ganchos terminais longos; gubernáculo presente e papilas pré-bursal presentes; telamon ausente.

Parasito de abomaso de ruminantes.

Família Dictyocaulidae
(Skrjabin, 1933)

Boca rodeada por quarto diminutos lábios, cavidade e cápsula bucal são pequenas. Fêmeas com vulva próxima a metade do comprimento do corpo. Macho com bolsa copuladora pequena e arredondada, espículos curtos; gubernáculo presente.

Subfamília Dictyocaulinae
Skrjabin, 1933

Bolsa copuladora não lobulada e com raio dorsal dividido em dois ramos, extremidade distal dos ramos dividido. Fêmea com cauda cônica.

Gênero Dictyocaulus
Railliet & Henry, 1907

Cavidade bucal duas vezes mais larga que longa, cápsula bucal pequena mais distinta, com anel quitinoso na base. Bolsa copuladora não lobulada e com membrana translucida; espículos curtos; gubernáculo presente. Fêmea com cauda cônica.

Dictyocaulus Viviparus
(Bloch, 1872)

Cavidade bucal duas vezes mais larga que longa, cápsula bucal pequena mais distinta, com anel quitinoso na base. Bolsa copuladora não lobulada e com membrana translucida; espículos curtos; gubernáculo presente; raio dorsal dividido desde a base em dois ramos, que são distalmente tridigitados (raio dorsal em V). Fêmea com cauda cônica.

Parasito de brônquios de bovinos.

Dictyocaulus arnfieldi
(Cobbold, 1884)

Cavidade bucal duas vezes mais larga que longa, cápsula bucal pequena mais distinta, com anel quitinoso na base. Bolsa copuladora não lobulada e com membrana translucida; espículos curtos; gubernáculo presente; raio dorsal dividido, aproximadamente a partir da metade de seu comprimento, em dois ramos que são distalmente bidigitados (raio dorsal em Y).Fêmea com cauda cônica.

Parasito de brônquios de equídeos.


© 2011 - IV - UFRRJ | Créditos
COTIC