PET-SI participa do XXIII ENAPET em Campinas – SP.

Assembleia Geral

Os PETianos Ana Clara Correa, Gustavo Garcia e Larissa Paiva participaram do Encontro Nacional dos Grupos PET, o  XXIII ENAPET ocorreu na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). O encontro é anual e consiste na integração dos grupos PETs de todo o Brasil, tem o intuito de levar o debate com o propósito de ressaltar a importância do PET nas universidades destacando as tríade que o grupo é formado, ensino, pesquisa e extensão.

   Os encontros PETs possuem uma estrutura básica, onde acontece diversos grupos de discussão, oficinas, minicursos e apresentação de trabalhos focados em diversos assuntos e temas abordando os três pilares do programa.

   Os Grupos de Discussão e Trabalho, GDTs,  são espaços deliberativos voltados para a análise e construção de encaminhamentos e sugestões que buscam a melhoria do programa. Essas deliberações serão discutidas e votadas na Assembléia Geral ao final do ENAPET. Esse ano tivemos os pré-GDTs, que consistiram em uma discussão informal a fim de incentivar a troca de ideias e deixar o assunto mais claro quando acontecer o GDT. Temos também os encontros por atividades (EA) que têm o objetivo principal a socialização de conhecimentos e construção coletiva, substituindo os antigos Encontros por Áreas que, por meio da segmentação, não refletiam a densidade da interdisciplinaridade presente na educação tutorial com pilar no ensino, pesquisa e extensão. Assim, a partir de uma temática específica, busca-se debater, refletir e construir estratégias e metodologias para novas práticas de inserção do tema no cotidiano PETiano a fim de alcançar o aprimoramento do Programa.

    As oficinas e minicursos têm por objetivo compartilhar conhecimento entre os petianos congressistas no evento, sejam nas oficinas, com atividades que visam uma prática coletiva, na qual os/as participantes interagem mais entre si.Por fim, temos as apresentações de trabalho dos PETianos, que são divididos em banners e apresentações orais, ambas as formas tem o intuito de mostrar suas atividades envolvendo os três eixos do PET.

   O primeiro dia

(15/07) foi focado no credenciamento dos participantes, deixando para que eles acomodem-se  no alojamento e se prepararem para o começo do evento. No segundo (16/07) dia começaram as atividades, dando início com o Encontro de Discentes de Docentes, foi uma pré assembleia, levantando temas e discussões que foram encaminhadas dos encontros regionais do Brasil.

   Logo após o almoço, ocorreram os pré-GDTs, o PETiano Gustavo Garcia participou do pré-GDT focado em Gestão Financeira Através do Custeio, onde ouve uma conversa saudável sobre orçamento e custeio, quais formas podem ser utilizados. Também foi comentado da possibilidade da verba de custeio custear bens duráveis para os PETs a fim de atender as demandas de atividades que os grupos exercem, esse tópico foi levado para o GDT.

   Em seguida, os membros do PET-SI Gustavo Garcia e Larissa Paiva interagiram no  EA23: Unidos pelo processo de inovação e desenvolvimento tecnológico. Nele, o foco

da discussão foi a inovação e desenvolvimento tecnológico feito no PET e como essa inovação e desenvolvimento impactam a sociedade. O EA foi mediado pelo PETiano da UFBA Monolito, que primeiramente levantou a discussão que em algumas instituições de ensino existe problemas envolvendo Empresas Júnior e o Programa de Ensino Tutorial, foi debatido que os dois meios de extensão das Universidade podem andar lado a lado produzindo formas de inovação. Em relação ao Desenvolvimento tecnológico, muito foi dito que os grupos devem focar na inovação abordando a tríade do PET. Foi comentado também a importância da interação dos grupos PET no desenvolvimento de atividades relevantes. Muitos grupos PETs compartilharam suas atividades, uma delas foi um protótipo de alerta quanto ao cuidado físico do  idosos, onde consistia numa cinta acoplada com um arduino que detectava quando o idoso caia e liberava a localização via aplicativo móvel informando da queda. Foi dito também sobre outro protótipo de um capacete onde ajudava um menino com deficiência motora a usar um smartphone. Foi comentado também sobre o projeto FarmaJusta , explicando o impacto que o projeto poderá causar no cotidiano da população.

   Muitos dos participantes presente no EA comentaram que todo os produtos que são desenvolvidos no PET devem ser livres, voltado sempre para atender alguma necessidade da  comunidade. Por fim, foi ressaltado a necessidade de investir em métodos, pois assim gera inovação.

   No terceiro (17/07) dia do evento,no horário da manhã os PETianos participaram dos GDTs, vale destacar a participação do PET-SI no GDT de Gestão Financeira, onde foi aprovado para assembleia uma proposta de aquisição de bens duráveis com o dinheiro do custeio junto com uma melhora do que pode ser adquirido, pois a lista de 400 itens proposta pelo MEC não está detalhada suficiente para bens de tecnologia e pesquisa em diversas áreas do conhecimento, como insumos químicos até materiais pedagógicos.

  Na parte da tarde, ocorreram as oficinas e minicursos, a PETiana Ana Clara participou da oficina da FANTÁSTICA FÁBRICA DE AVIÕES: SIMULANDO A GESTÃO DE PROJETOS DE MANEIRA INTERATIVA que foi abordado sobre o escopo de Projetos; Perfis de Liderança; Ciclo PDCA; Qualidade; Linha de Produção. Apresentação das regras. Quatro rodadas de simulação entre grupos com o objetivo de produzir a maior quantidade de aviões de papel dentro do padrão de qualidade exigido pelo PET Produção, que representa a Força Aérea no jogo. Apresentação e discussão dos resultados da simulação.

   Larissa Paiva do PET-SI participou da oficina FERRAMENTAS ORGANIZACIONAIS: TRELLO E SLACK, foi apresentadas duas ferramentas digitais utilizadas pelo Pet Civil – UFSCar que são muito úteis na gestão de atividades tanto de grupos como individuais.

  Gustavo Garcia do PET-SI colaborou com a oficina de TREINAMENTO DE DESIGN THINKING do PET Produção da UFSCAR,que consistiu de uma abordagem para resolução de problemas, que parte do princípio que para se obter inovação, deve-se resolver problema de maneira abdutiva, ou seja, encontrar uma solução que não derive do problema, mas sim encaixe-se a ele, colocando o ser humano no centro do processo e buscando inovação. Ambas as oficinas e minicursos foram produtivos e deixaram os membros do PET-SI UFRRJ empolgados para explorar os novos conhecimentos dentro do programa.

   No quarto dia (18/07) aconteceram as apresentações e o mobiliza PET, onde foi discutido entre os PETs do rio onde Sudeste Pet poderia acontecer, a discussão foi levada até a assembleia geral e não obteve resultados de um local para sediar o evento.

   No quinto dia de ENAPET (19/07), aconteceram as apresentações dos posteres, onde o PET-SI apresentou o FarmaJusta onde obteve resultados muito bons dos avaliadores e dos PETianos que se interessavam pelo projeto, em destaque muitos membros de PETs voltado para saúde e farmácia elogiaram a iniciativa e ficaram empolgados em divulgar em seus grupos.Futuras parcerias foram consideradas e com o tempo novos planejamentos podem surgir depois do XXIII ENAPET.

   No última dia (20/07) foi abordado o dia todo de assembleia, com objetivo de aprovar os encaminhamentos dos GDTs, a participação de todos os PETianos e Tutores nesse dia do evento é de suma importância para definir o rumo que o Programa de Ensino Tutorial pode tomar.

   Com um acolhimento excelente, os grupos PET da UFRRJ se despediram do evento com a sensação de missão comprida, trabalhos apresentados, futuras parcerias formadas, amizades feitas e muita história para contar ao longo da caminhada PETiana, o próximo ENAPET será realizado no Nordeste, mais especificamente na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O PET-SI da UFRRJ espera marcar presença no próximo ENAPET para mais interações com os grupos PET de todo território nacional.