PET-SI da UFRRJ desenvolve um aplicativo de ensino para deficientes auditivos.

Telas do aplicativo LibrasTI na Google Play Store

    O PET-SI desenvolveu o aplicativo LibrasTI, uma aplicação voltada para promover a inclusão de surdos no campo tecnológico através da popularização e difusão de termos de TI em LIBRAS, a Língua Brasileira de Sinais. O LibrasTI traz uma contribuição ao âmbito educacional pois permite que professores, alunos e usuários da área de TI ou mesmo de outras áreas do conhecimento tenham contato com os conteúdos voltados para pessoas surdas.

O projeto da aplicação iniciou-se com o petiano Felipe Calé que pesquisa o desenvolvimento mobile voltado para a inclusão e acessibilidade de deficientes auditivos. O petiano tomou conhecimento de um glossário de vídeo termos em Libras desenvolvido pelo NAPNE do Instituto Federal de Educação de Santa Catarina / Chapecó (IFSC-Chapecó) através de uma reportagem no site G1( https://globoplay.globo.com/v/5377213/) e propôs a criação de um aplicativo móvel que utilizasse esses termos.

Inicialmente, o encapsulamento do glossário foi visto como uma ótima proposta extensionista, sendo bem recebido pelo PET-SI. O tutor do PET-SI, Prof. Sergio Serra alocou uma equipe de petianos composta por Renan Miranda, Pedro Benassi, Luiz Volpasso e Lucas Nunes para trabalharem no desenvolvimento do aplicativo e no estabelecimento da parceria entre o PET-SI e o IFSC-Chapecó representado pela professora Tatieli Meneghini coordenadora de extensão da IFSC-Chapecó.

O aplicativo LibrasTI é um aplicativo livre e já sendo apresentado a comunidade petiana através do III INTRAPET da UFRRJ e do texto submetido ao Encontro Nacional dos Grupos de PET – ENAPET 2017 a ser realizado em Brasília.

O aplicativo  é totalmente gratuito já se encontra disponível na loja da Play Store.